Farmácia Bella Derm

*43 3028.0200Central de Atendimento
LEMMA
Product ID: 3265459
Product SKU: 3265459
New In stock />
FEMINI CARE® - 100mg, 60 cáps

FEMINI CARE® - 100mg, 60 cáps

Frete com desconto por CEP. Veja o desconto em seu carrinho e no checkout da compra!
Marca: LEMMA
Disponibilidade: Disponível em 1 dia útil
Referência: 35909
aguarde, carregando preço...
/ 10
Simulador de Frete
- Calcular frete

FEMINI Care® - 100mg, 60 cáps.

10 BILHÕES MÚLTIPLAS CEPAS

 

BLEND DE PROBIÓTICOS PARA SAÚDE DA MULHER

Múltiplas cepas probióticas para saúde feminina

 

FEMiNi Care® é a combinação perfeita de cepas probióticas balanceadas nas doses adequadas para promoção da saúde feminina. Embora exista muita ênfase na saúde gastrointestinal, os estudos demonstram um crescente cuidado com o microbioma específico para a saúde feminina nas diferentes fases da vida.

O microbioma feminino se distingue pelas diferenças fisiológicas e hormonais da mulher e desempenha um papel essencial não apenas na saúde gastrointestinal e na disbiose, mas também potencialmente nas infecções geniturinárias, fertilização bem sucedida, na gravidez saudável e contribuição para melhora dos sintomas da pós-menopausa.

 

BENEFÍCIOS

- Reduz a disbiose e hiperpermeabilidade intestinal

- Promoção da integridade do epitélio intestinal, estimulando a secreção de muco e modulando a resposta imune

- Prevenção infecção urinária e candidíase vaginal

- Estímulo da saúde durante a gestação e lactação

- Manutenção da saúde óssea na pós-menopausa

- Melhora perfil cardiometabólico na menopausa

- Melhora sintomas vasomotores na menopausa (calores)

- Melhora os sintomas da síndrome geniturinária (ressecamento vaginal) na menopausa

- Redução dos sintomas da endometriose

- Prevenção da mastite

 

FEMiNi Care® na Candidíase Vaginal:

Os probióticos afetam positivamente a composição da microbiota vaginal, promovendo a proliferação de microrganismos benéficos, prevenindo infecções vaginais. Além disso, os probióticos também reduzem os sintomas de infecções vaginais como corrimento vaginal, odor, prurido, entre outros.

 

FEMiNi Care® na saúde óssea pós-menopausa:

Estudo avaliou os efeitos da suplementação de múltiplas espécies probióticas em biomarcadores ósseos e densidade óssea em 50 mulheres pós-menopausa osteopênicas.

 

FEMiNi Care® melhora sintomas vasomotores da menopausa (fogachos).

 

FEMiNi Care® melhora os sintomas da síndrome geniturinária na menopausa (ressecamento vaginal).

 

Suplementação de múltiplos probióticos (FEMiNi Care®) afeta favoravelmente a função vascular e reduz a rigidez arterial em mulheres obesas na pós-menopausa.

 

FEMiNi Care na prevenção do diabetes gestacional:

- FEMiNi Care modula a composição da microbiota intestinal, aumentando a produção de butirato, reduzindo a aderência de patógenos ao epitélio intestinal e a hiperpermeabilidade intestinal por meio da expressão de tight junctions (Zonulinas e ocludinas). A integridade epitelial intestinal pode reduzir a translocação de LPS e previnir a endotoxemia metabólica, além de melhorar o metabolismo lipídico e glicêmico.

- Uma meta-análise recente de estudos clínicos demonstrou que a suplementação com múltiplas cepas probióticas diminui a incidência de diabetes gestacional (DMG) em 60%. Em outro estudo o efeito de múltiplas cepas em 70 gestantes por um período de 9 semanas. As mulheres que receberam os probióticos tiveram um aumento menor nos níveis de insulina e pontuações HOMA-IR ao longo do terceiro trimestre de gravidez.

- Os estudos indicam que o momento e a duração da intervenção, bem como as cepas utilizadas, são ser cruciais para determinar seu sucesso. FEMiNi Care é a associação adequada de probióticos para prevenção do diabetes mellitus gestacional

 

FEMiNi Care® na endometriose e infertilidade:

Interação da microbiota endometrial no útero pode impactar a estabilidade genômica do epitélio uterino por meio da modulação de fatores de transcrição, metabólitos secretados e controle de patógenos.

 

FEMiNi Care® na prevenção da mastite:

A mastite lactacional é uma condição comum entre mulheres que amamentam e está associada à diminuição das taxas de amamentação e geralmente tratada com antibióticos.

Estudo de revisão publicado em 2020 demonstrou que a combinação adequada de probióticos podem ter utilidade para a melhora ou prevenção da mastite lactacional.

 

COMPOSIÇÃO:

FEMINI Care®.Combinação única de 9 cepas probióticas liofilizadas.

Bifidobacterium bifidum, Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus crispatus, Lactobacillus delbrueckii s. bulgaricus, Lactobacillus fermentum, Lactobacillus gasseri, Lactobacillus reuteri, Lactobacillus rhamnosus, Streptococcus thermophilus.

 

60 Cápsulas: FEMINI Care® (100 mg)

Tapiocáps® - Vaginal

 

IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS,

A EMBALAGEM PODERÁ SER APRESENTADA DE FORMA DISTINTA.

 

MODO DE USAR:

Ingerir uma ou duas doses ao dia, logo antes de dormir, ou utilizar via vaginal introduzir uma cápsula intravaginal, uma vez ao dia.

 

IMPORTANTE: Usar este produto sob a prescrição de um profissional habilitado.

Manter fora do alcance das crianças.

AO PERSISTIREM OS SINTOMAS, UM MÉDICO DEVERA SER CONSULTADO.

Conservar em local fresco, seco e ao abrigo da luz solar.

 

EM CASO DE DÚVIDAS CONTATE UM FARMACÊUTICO DA FARMÁCIA BELLADERM: WhtasApp: 43 99190.0020 / Fixo: 43 3152.0200

 

___________
Produzido por: FARMÁCIA BELLADERME LTDA.CNPJ: 08.546.542/0001-76
AE: A1100240, AFE: 0491169, Licença Sanitária: 14729,CRF/PR: 16847
Responsável Técnica: Lucilene Ribeiro Munhoz CRF/PR:13.459

___________
Referências consultadas: Literatura técnica de apoio Lemma®: Vujic G, et al. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol. 2013;168(1):75-79. Martinez RC, et al. Lett Appl Microbiol. 2009;48(3):269-274. Wagner RD, et al. J Food Prot. 2000;63(5):638-644. Kovachev SM, Vatcheva-Dobrevska RS. Probiotics Antimicrob Proteins. 2015;7(1):38-44. Gupta V, Nag D, Garg P. Indian J Med Microbiol. 2017;35(3):347-354. Sihra N, Goodman A, Zakri R, Sahai A, Malde S.Nat Rev Urol. 2018;15(12):750-776. Mezzasalma, V. et al. Arch. Gynecol. Obstetr. 295, 163?172 (2017). Beerepoot M.A., et al. Arch Intern Med. 2012;172(9):704-712. Molina NM, et al. Biomolecules. 2020;10(4):593. Published 2020 Apr 11. Khodaverdi S, et al. Int J Fertil Steril. 2019;13(3):178-183. Itoh H, et al. Cytotechnology. 2011;63(2):153-161. Uchida M., Kobayashi O. Biosci. Biotechnol. Biochem. 2013;77:1879?1881. Somigliana E. et al, Hum. Reprod. 1999;14:2944?2950. Itoh H., et al. Cytotechnology. 2011;63:205?2. Hasain Z, et al. Front Cell Infect Microbiol. 2020;10:188. Published 2020 May 15. Rogozinska E, et al. PLoS ONE. 2015;10(2): e0115526. Laitinen K, et al. Br J Nutr. 2009;101(11):1679?87. Asemi Z, et al. Eur J Clin Nutr. 2013;67(1):71?4. Gao X, et al.PeerJ. 2019;7:e7117. Published 2019 Jun 13. Sakai T, et al. J Nutr Sci Vitaminol (Tokyo). 2013;59(2):144-147. Jafarnejad S, et al. Am Coll Nutr. 2017;36(7):497-506. Polkowski K, Mazurek AP. Acta Pol Pharm. 2000 Mar-Apr;57(2):135-55. Barker M, et al. Women Birth. 2020;S1871-5192(19)30847-9. Brantsaeter AL, et al. Am J Epidemiol. 2011;174(7):807-815. Szuli?ska M, et al. Nutrients. 2018;10(11):1672. Szuli?ska M, et al. Nutrients. 2018;10(6):773. Lambert MNT, et al. PLoS One. 2017;12(6):e0176590. Ribeiro AE, et al. Menopause. 2018;26(6):643-652.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
    Produtos Visitados

    Layers Commerce